Cuidados essenciais com o bebê prematuro

Modificao em

Cuidados essenciais com o bebê prematuro

O bebê prematuro é aquele que nasce com menos de 37 semanas de gestação (ou até 36 semanas e 6 dias). No Brasil, 12,4% dos bebês nascidos vivos são prematuros, segundo dados do Ministério da Saúde, confirmados pela UNICAMP em 2014. Existem 3 tipos de bebês prematuros – os limítrofes, nascidos entre 36 e 37 semanas de gestação, os moderados, nascidos entre 31 e 36 semanas de gestação e os extremos, bebês prematuros nascidos com 24 a 36 semanas de gestação.

Os bebês prematuros exigem maior cuidados pois além de terem um peso significantemente menor ao nascer, eles ainda tem muitos aspectos de fragilidade como pele muito fina, veias visíveis, pouco tecido adiposo (gordura) sob a pele, orelhinhas finas e moles, musculatura fraca, e dificuldade para sugar e deglutir. Com o organismo bem mais frágil que um bebê normal, esse recém nascido vai necessitar de mais atenção na sua rotina diária. Eles também precisam de mais dedicação da mãe e de médicos especialistas, especificamente em relação à amamentação e também à vacinação. Esses dois elementos são muito importantes para a saúde e desenvolvimento de qualquer bebê, especialmente os prematuros!

Dicas de cuidados com o seu bebê prematuro no dia-a-dia

Alguns cuidados essenciais ajudam a minimizar riscos para a saúde do bebê prematuro e contribuem para que ele ou ela logo possam ganhar peso e estabelecer um ritmo de desenvolvimento adequado ou até superior aos bebês nascidos de uma gestação completa. Ter um bebê prematuro, dependendo da idade gestacional do bebê pode não ser uma coisa tão complicada, mas há casos em que o bebê realmente requer cuidados extensos e uma longa estadia na UTI Neonatal. As dicas abaixo são para casos em que a criança prematura já está de alta, portanto, são dicas que podem ser aplicadas em casa.

1. Visitas

Todo mundo quer visitar o mais novo membro da família, mas no caso de bebês prematuros, é bom a família ter um pouquinho mais de paciência. Evitar o excesso de aglomerações e de visitas, certificar-se que todos os que entram em contato com o bebê ou no seu quarto estejam com as mãos higienizadas são ações importantes para evitar contaminações comuns como gripes, por exemplo. Em casos de bebês muito prematuros, a própria equipe médica vai recomendar um prazo de restrição de visitas. Os pais e familiares devem respeitar as regras, para manter a segurança do bebê em primeiro lugar, e o acesso ao bebê deve ser priorizado aqueles que formam a equipe de apoio – avós, babás ou cuidadores domiciliares especializados em prematuros.

2. Atendimento Multidisciplinar

O bebê prematuro estará,  até os 2 ou 3 anos, defasado em seu desenvolvimento, devido ao seu nascimento ter ocorrido antes da data ideal. Em muitos casos, ele terá tido um tempo na UTI Neonatal e por isso, sua idade cronológica deve ser corrigida. Ou seja, um bebê prematuro com 4 meses de vida não terá o mesmo desenvolvimento de um bebê que cumpriu todo o período gestacional. Por isso, em muitos casos, é preciso o acompanhamento de médicos especialistas: pediatra, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, neurologista, oftalmologista, cardiologista, etc. Isso é importante, pois, caso haja algum problema, ele poderá ser detectado o quanto antes.

3. Cuidador Domiciliar Bem Orientado

A mãe, babá, avó ou cuidador domiciliar responsável pelo bebê no seu dia-a-dia deve ser uma pessoa (ou pessoas) bem orientada para acompanhar o desenvolvimento do bebê, sem super protegê-lo, mas considerando os principais fatores que podem gerar um risco para sua saúde: problemas respiratórios, cardíacos e intestinais. Deve-se atentar também para a capacidade do bebê de sugar e deglutir, atividades essenciais para que sua alimentação transcorra de forma segura. Mas a super proteção pode ser contraprodutiva, impactando negativamente o desenvolvimento do bebê. Assim como bebês nascidos de 40 semanas, os prematuros também precisam se arriscar para ir, aos poucos, conquistando níveis mais altos de desenvolvimento!

4. Aleitamento Materno

Já citado anteriormente, mas vale ressaltar que o leite materno é um alimento completo e tem defesas adequadas ao bebê prematuro. Inclusive trata-se de um direito essencial do prematuro. O leite materno protege contra infecções, desnutrição, alergias e promove uma oportunidade de fortalecer o vínculo afetivo entre entre mãe e filho. Quando o bebê tem dificuldade na sucção, é recomendado interromper a amamentação para que ele descanse. Aos poucos ele irá se adaptar e progredir, mas é importante que a mamãe não desista, inclusive acordando eventualmente o bebê mais dorminhoco, nas horas da mamada, com intervalos de 3 horas.

5. Ambiente Limpo e Bem Ventilado

Os maiores inimigos da saúde são em geral invisíveis, portanto, é necessário manter o ambiente o mais limpo e arejado possível. Nesse processo, deve-se evitar formar correntes de ar, ou proteger o bebê quando houver este risco. Cuidado também com produtos químicos!

Vale ressaltar que é importante não fumar perto do bebê ou dentro de ambientes internos, e sempre, lavar bem as mãos antes de pegar o bebê ou depois das trocas de fraldas. Trocar a roupinha de cama do bebê e mantas com frequência para evitar a poeira que pode acumular nestes itens também fazem parte da higiene do lar. Esses cuidados são muito simples mas evitam na prevenção de contaminações e infecções, principalmente nos primeiros meses de vida do bebê, em que há uma maior vulnerabilidade.

6. Trocas de Fraldas

Com o bebê prematuro, a troca de fralda suja ou molhada deve ser mais frequente, já que a pele do bebê é muito fina e mais sensível. No banho, prefira sempre produtos neutros, para não irritar a pele delicada dos bebês, e consulte seu pediatra sobre a pomada mais indicada para o tratamento de eventuais assaduras.

7. Conforto e Temperatura

O bebê prematuro pode sentir mais frio, isso porquê tem mais dificuldade em manter a temperatura corporal estabilizada. Certifique-se de que o bebê está confortável, ou seja, sem soluços, e com as extremidades aquecidas (nariz, boca e dedos). Se precisar, agasalhe um pouco mais a criança, de forma a deixa-la confortável, mas evite também o superaquecimento.

O primeiro ano do bebê prematuro é um período muito delicado e que requer mais atenção dos pais. Procure se informar e repassar aos cuidadores – familiares, babás ou cuidadores profissionais – as orientações recebidas do pediatra ou especialistas.

Um ano passa bem rápido e logo seu bebê estará cada vez mais desenvolvido e fortalecido, até que um dia, esse fato será apenas uma memória gostosa de um tempo que passou e que deixou saudade.


Os comentários estão fechados.