Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa

Modificao em

Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa

Neste dia 15 de junho comemoramos a data de conscientização da violência contra o idoso. O Brasil possui cerca de 20 milhões de idosos e as projeções apontam que este número representa 11% da população. Estima-se que em 2050, o número de idosos será duas vezes maior que o de crianças.

A violência contra o idoso vai além da agressão física. A negligência ao idoso é um crime praticado com frequência. Em 2014 representou 76,3% das denúncias recebidas pelo serviço Disque 100 – da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR).

A negligência ou abandono do idoso, consiste na omissão por parte dos familiares ou instituições responsáveis pelos cuidados básicos para o desenvolvimento físico, emocional e social do idoso. Entre os atos negligentes estão a má administração de medicamentos e ausência de qualidade nas acomodações que comportam o idoso, como cama desconfortável, falta de ventilação no ambiente, privação de sol. O abandono do idoso consiste numa forma extrema de negligência.

Outra violência cometida contra o idoso é o abuso e usurpação financeira e patrimonial. Alguns familiares ao assumirem a gerência da vida financeira do idoso, se apropriam de seus bens e os deixam reféns em uma condição de humilhação. É comum ocorrerem casos em que o idoso é forçado a contribuir com todo o seu salário de aposentadoria, para a manutenção da casa das pessoas que o acolhem.

Torna-se fundamental sensibilizar a sociedade em prol do combate a variedade de modalidades de violência que são praticadas com os idosos. É importante que se dissemine o entendimento da violência como violação aos direitos humanos.

É imprescindível que se garanta ao idoso um envelhecimento qualitativo, que incorpore uma série de fatores como higiene, medicamentos adequados, moradia digna e sobretudo afeto. Não se pode ignorar a importância da história de vida do idoso e subestimar sua vivência em relação aos mais jovens. O cuidado justo com o idoso, implica necessariamente o respeito à sua vasta trajetória de vida.


Os comentários estão fechados.