Como cuidar da gestante em situação de risco

Modificao em

Como cuidar da gestante em situação de risco

A gestação já é, por si só, um período em que a futura mamãe requer cuidados e mimos especiais. Nesta fase, o cuidado pré-natal é fundamental para acompanhar todas as transformações físicas e emocionais das mamães e o desenvolvimento dos bebês. Porém, os cuidados devem ser mais minuciosos e a atenção redobrada quando a gestação é considerada de alto risco (para a mamãe ou para o bebê).

Normalmente enquadram-se em gestação de alto risco as mulheres de mais idade e as muito jovens, aquelas que já tiveram um ou mais abortos espontâneos e aquelas cujo quadro clínico é mais frágil, devido a doenças como a hipertensão, a diabetes ou outras condições de saúde mais críticas.

Nestas gestações os medos e angústias das mamães ficam ainda mais evidentes. Elas devem realizar um acompanhamento específico para garantirem as melhores condições para que sua gestação seja levada até o final do termo e que tanto mamãe quanto bebê passem pelo parto de forma serena, sem complicações. É comum em uma gravidez de alto risco que o médico recomende que a grávida não se movimente, ou seja, fique de repouso completo. Neste caso, a gestante vai precisar de assistência praticamente 24h por dia.

Para ajudar os cuidadores da gestante, reunimos aqui algumas 10 dicas para todo o período de gestação, que irão contribuir para deixar a futura mamãe mais serena e bem cuidada:

  1. Ir ao seu acompanhamento médico regular, levando todas as dúvidas que surgiram entre uma visita e a outra, e anotando as respostas a perguntas mais preocupantes;
  2. Estar atenta a tudo que envolve o crescimento do bebê no útero, qualquer desconforto maior da gestante deve ser observado atentamente assim como dores, enjôos e sangramentos;
  3. Conhecer os principais fatores específicos que colocam em risco a gravidez- que sejam pertinentes à grávida em questão;
  4. Conhecer as situações que merecem um olhar mais atento: mudanças em temperatura, pressão arterial, glicemia, e outros indicadores. Monitorar e registrar;
  5. Evitar o consumo de drogas, fumo e álcool. Todos eles tem efeitos nocivos que vão desde o parto prematura até alterações neurológicas no bebê;
  6. Sangramentos, secreções vaginais e cólicas devem ser comunicadas ao médico imediatamente;
  7. A febre pode ser uma indicação de infecção e a gestante não deve ser medicada sem orientação médica;
  8. Após o quarto mês de gravidez é importante estar atento a movimentos fetais mais inquietantes, assim como a ausência de movimentação por mais de 12 h;
  9. Nutrir e hidratar é essencial para a saúde da mamãe e do bebê, assim como evitar excessos de qualquer tipo. Cuidados com a alimentação, fisioterapia e higiene fazem parte dos cuidados que toda grávida, mas especialmente, a gestante de alto risco deve receber.
  10. Finalmente, atente-se para sinais de depressão na gestante, e se for o caso, informe ao médico imediatamente. A depressão é uma doença séria e especialmente na grávida, é importante obter ajuda o quanto antes.

Com atenção, carinho e dedicação a gestante poderá se sentir cada vez mais segura e preparada para para conduzir sua gestação a termo. Toda a família pode contribuir um pouco para que a grávida sinta-se mais segura e acolhida.


Os comentários estão fechados.